Krishnamurti sobre a educação

Bem-vindo


"A educação deve ajudar-nos a descobrir valores perenes, para que não nos apeguemos a fórmulas ou à repetição de slogans; deve ajudar-nos a derrubar as barreiras nacionais e sociais, em lugar de as reforçar, porquanto essas barreiras geram antagonismo entre homem e homem. Infelizmente, o nosso atual sistema de educação nos torna servis, mecânicos e fundamentalmente incapazes de pensar; embora desperte nosso intelecto, deixa-nos interiormente incompletos." - Jiddu Krishnamurti

A educação na atualidade

O que é a educação?


O conceito de educação que temos nos dias de hoje, disseminado praticamente no mundo inteiro, limita-se particularmente ao ato de se transmitir informações e conhecimentos científicos aos jovens. Ao fim de doze anos deste conceito ser aplicado, é chegada a hora das universidades, a fase final que irá definir a colocação do aluno na sociedade mercantil. Sendo assim, de uma forma clara, podemos dizer que a educação atual tem como únicas e exclusivas finalidades o mercado de trabalho e o êxito pessoal.


Como o mundo se encontra


Vivemos em um mundo caótico, onde os seres que nos acostumámos a chamar de humanos são capazes das maiores monstruosidades para conseguir aquilo que desejam. A preocupação consigo próprio justifica tudo. Nunca houve tanta abundância de recursos durante todo o percurso da humanidade na terra, e entretanto, vivemos em uma época onde a miséria e a violência são tão usuais que já mal provocam algum sentimento de compaixão nas pessoas. Fazemos culto ao sucesso, à fama, à riqueza material; demandamos que nossos jovens alcancem os melhores postos, e jamais refletimos as consequências destas ações. A indiferença e o individualismo parecem ser os únicos preceitos da nova era.


O nosso papel


Algumas vezes, entre lapsos de hipocrisia, lamentamos o estado atual do mundo. Tagarelamos sobre a ganância alheia, sobre a brutalidade do outro, sobre seu egoísmo, sem considerar a menor de intenção de nos confrontarmos e descobrir qual tem sido o nosso papel em todo este espetáculo de horror. Através de justificativas conformistas, permanecemos a alimentar diariamente a monstruosidade que infesta cada vez mais profundamente a humanidade, e juntamente dizemos almejar o melhor para os jovens de todo o mundo. Tornamos a educação, que será talvez o unico meio pelo qual o homem, o ser humano, pode ser transformado, em uma ponte para o estatuto social, e resumimos toda a existência a isso.


O que é verdadeiramente educar?


Apesar de toda a cruel realidade do mundo de hoje, que está repleto de sofrimento, desonestidade, individualismo, acreditamos que educar uma criança seja meramente transmitir a ela os conceitos que nós próprios cultivámos, sem nunca refletí-los. Pensamos ser suficiente ensiná-las a falar, andar, vestir-se. Pensamos que alimentá-las e proporcionar-lhes conforto é o nosso único dever para com elas. Mas, se somos nós os responsaveis pelo estado do mundo, não deveriamos estar preocupados com o caráter pessoal, com a consciência que está sendo construída nas futuras gerações? Se entregamo-los à sociedade e deixamos que ela os molde, estamos apenas dando continuidade a todo mal que hoje existe.
A educação pode exercer o papel de mecanismo fundamental de transformação em uma sociedade, mas para isto, ela mesma precisa, primeiramente, ser transformada. Nós - pais, tios, avós, professores - precisamos repensar o nosso papel no mundo e o que temos feito verdadeiramente pelas nossas crianças, pois a educação não se resume apenas ao ambiente escolar; o lar é a chave que pode abrir a consciência de um jovem para a realidade do mundo de hoje. E juntos, poderão, talvez, construir um mundo novo, com pessoas que sejam exatamente o oposto daquilo que somos hoje. Uma sociedade onde a cooperação, a bondade e a comunhão não sejam ideais ou exceções. Se a educação não exerce o papel de humanizar, então ela não tem utilidade alguma para o mundo.


Qual foi o papel de Jiddu Krishnamurti na questão da educação?


Em contato com a sua biografia - a qual começará de seguida - você verá que Krishnamurti renunciou a uma vida de absoluto conforto e sucesso pessoal para se dedicar a um único propósito: o surgimento de um novo ente humano, a total transformação da consciência.
Nos vídeos presentes mais adiante, você terá contato com a mais profunda reflexão no que se refere à descoberta da verdadeira educação. Uma reflexão que foca o papel do educador - pai ou professor - e qual o relacionamento correto entre ele e a criança, parte totalmente negligênciada por todos nós. Esta plataforma visa proporcionar a você um contato mais direto com esta questão tão importante, a qual deveria fazer parte do nosso cotidiano: O que é verdadeiramente educar?


Quem foi Jiddu Krishnamurti?

Jiddu Krishnamurti nasceu em 11 de maio de 1895 em Madanapele, uma pequena vila no sul da Índia. Ele e seu irmão foram adotados em sua juventude pela Dra. Annie Besant, então presidente da Sociedade Teosófica. Dra. Besant e outros proclamaram que Krishnamurti seria o instrutor do mundo, vindo como os teosofistas haviam previsto. Para preparar o mundo para sua chegada, uma organização internacional com milhares de pessoas que se dispunham a segui-lo, chamada Ordem da Estrela do Oriente, foi formada e o jovem Krishnamurti tornado seu líder.

A mudança de Krishnamurti


Contudo, em 1929, Krishnamurti renunciou ao papel que lhe fora destinado, dissolvendo assim a organização que o proclamava como o novo Instrutor do Mundo e devolvendo propriedades que lhe tinham sido doadas, sustentando que o seu único objetivo era tornar os homens absoluta e incondicionalmente livres, e que a verdade é uma terra sem caminhos. Desde aí, Krishnamurti tornara-se um novo homem.



A vida de K


Durante o resto da sua existência, Krishnamurti foi rejeitando insistentemente o estatuto de mestre espiritual que alguns tentavam incessantemente atribuir-lhe. Continuou a atrair grandes audiências por todo o mundo, porém recusando sempre qualquer autoridade, não aceitando discípulos e falando sempre como se de amigo para amigo. O cerne do seu ensinamento consiste na afirmação de que a necessária, urgente e fundamental mudança da sociedade só pode acontecer através da transformação da consciência individual. A necessidade do autoconhecimento e da compreensão das influências restritivas e separativas das religiões organizadas, dos nacionalismos e de outros condicionamentos, foram por ele constantemente realçadas. Ao longo de toda a sua vida, até à sua morte em 1986, Jiddu Krishnamurti viajou pelo mundo proferindo conferências, diálogos e debates sobre temas vitais para o ser humano, tais como o amor, o medo, a morte, deus, os conflitos, entre outros, sob a perspectiva mais profunda da consciência que transcende o pensamento, em cada um de nós. As suas palestras, diálogos e outros escritos estão reunidos em mais de 60 livros.

A preocupação da educação


A Educação fora sempre uma das maiores preocupações de Krishnamurti. Fundou várias escolas em diferentes partes do mundo onde crianças, jovens e adultos podem aprender juntos a viver um quotidiano de descondicionamento, de florescimento interior e de compreensão da sua relação com o mundo e com os outros seres humanos.

Resumo biográfico


Krishnamurti não pertencia a nenhuma organização religiosa, seita ou país, mas falava sobre coisas que preocupam a todos nós em nossa vida diária, dos problemas do viver numa sociedade moderna com sua violência e corrupção, da busca individual por segurança e felicidade e da necessidade da humanidade de se livrar do peso interior do medo, da dor e da tristeza. Ele explicou, com grande precisão, o funcionamento da mente humana e apontou a necessidade para trazer à nossa vida diária uma qualidade profundamente meditativa e espiritual. K também não estava associado a qualquer escola política ou pensamento ideológico; pelo contrário, ele afirmou que estes são os verdadeiros fatores que dividem os seres humanos e que trazem o conflito e a guerra. Ele lembrava incessantemente aos seus ouvintes que antes de sermos hindus, muçulmanos, ou cristãos, somos seres humanos, que somos iguais ao resto da humanidade e que não somos diferentes uns dos outros. Ele pediu que andemos suavemente por esta terra sem nos destruir ou ao meio ambiente. Ele transmitiu aos seus ouvintes um profundo senso de respeito pela natureza. Seus ensinamentos transcendem os sistemas de crenças feitos pelo homem, o sentimento de nacionalismo e de sectarismo, dando, ao mesmo tempo, um novo sentido e direção à busca da humanidade pela verdade. Seus ensinamento, além de relevantes à idade moderna, são atemporais e universais.

Seção de videos

Vídeos legendados em PT sobre educação


À medida que mais diálogos/palestras forem legendados sobre este tema, serão aqui adicionados.


Qual é o propósito da educação? - 1972 - 59min

Diálogo legendado entre Jiddu Krishnamurti e Dr. A. W. Anderson sobre a educação - San Diego, 1972


Por que somos educados? - 1979 - 58min

Diálogo legendado entre Jiddu Krishnamurti e J.L Dewez sobre a educação - Brockwood Park, 1979


Como ajudar as crianças a lidar com este mundo ameaçador? - 22min

Primeira pergunta da primeira sessão de Perguntas e Respostas em Ojai, 1982 - Brockwood Park, 1979


Sobre a relação de pais e professores para com as crianças - 7min

Pergunta colocada a Jiddu Krishnamurti na sessão de Perguntas e Respostas em Madras, 1981


Qual a significância da história na educação dos jovens? - 16min

Primeira pergunta feita a Jiddu Krishnamurti na sessão #1 de Perguntas e Respostas em Ojai, 1980


Tenho uma criança. Como educá-la? - 6min

Segunda pergunta colocada a Jiddu Krishnamurti na sessão #5 de Perguntas e Respostas em Saanen, 1980


*Novo* - Educação, meditação e morte - 1977 - 83min

3º diálogo realizado por Jiddu Krishnamurti em Saanen, 1977


*Novo* - Qual é a relação entre o autoconhecimento e a educação? - 1977 - 33min

Excerto do 3º diálogo realizado por Jiddu Krishnamurti em Saanen, 1977


*Novo* - O relacionamento entre o educador e o estudante - 1979 - 53min

Primeira conversa entre Jiddu Krishnamurti e cinco professores em Brockwoord Park no ano de 1979

Livros sobre educação

Clicar na capa dos livros para baixar


A educação e o significado da vida

A educação e o significado da vida


Sinopse: Neste volume, Krishnamurti trata, com serenidade e compreensão raras, de um dos mais sérios problemas do desenvolvimento do ser humano - o problema da educação. Segundo o notável pensador indiano, a educação moderna é completamente falha e como tal precisa ser modificada. O material reunido em A Educação e o Significado da Vida provém das reflexões a que deram lugar os diálogos do autor com estudantes e professores, bem como inúmeros interessados na pedagogia, em todas as partes do mundo, a respeito da verdadeira educação para a vida.


Novos roteiros em educação

Novos roteiros em educação


Sinopse: Em 1952, em Rajghat-Banaras, às margens do Rio Canges, Krishnamurti realizou uma série de palestras para um auditório de jovens entre 9 e 20 anos de idade. Embora, ao longo das palestras (cujo texto integral está coligido neste volume), fossem abordados vários pontos do pensamento krishnamurtiano, tiveram elas por tema novos roteiros em educação, assim definidos na palestra inicial: “O fim da educação não é libertar-vos do temor, e não apenas preparar-vos para passar nos exames, o que pode ser também necessário? Mas, essencialmente, fundamentalmente, a finalidade da educação não é a de ajudar-vos, desde a infância, até ingressardes no mundo? Não deveria a educação ajudar-vos a ser de todo livres, interiormente livres, do temor, para vos tornardes entes humanos inteligentes, dotados de iniciativa? A iniciativa é destruída quando estais imitando, quando estais meramente seguindo uma tradição, um guia político, um swami religioso."


O começo do aprendizado

O começo do aprendizado


Trecho: "Enquanto a educação se preocupar tão só com a cultura do exterior... o movimento interior, com sua profundidade imensa, será inevitavelmente para os poucos e isso também é muito triste. A tristeza não pode ser resolvida, não pode ser compreendida quando estais correndo com tremenda energia ao longo do superficial. A menos de resolverdes o problema com o conhecimento de vós mesmos, tereis revolta após revolta, reformas que precisarão de novas reformas e o interminável antagonismo do homem com o homem continuará."


Ensinar e aprender

Ensinar e aprender


Sinopse: Ensinar e aprender contém as palestras e debates que Krishnamurti realizou na Índia com os alunos e os professores das escolas de Rishi Valley, em Andhra Pradesh, e Rajghat, em Varanase. Esses centros são administrados pela Fundação Krishnamurti da Índia, organizada para criar ambientes em que os ensinamentos de Krishnamurti possam ser transmitidos aos adolescentes. Para ele, a educação é da máxima importância no transmitir o que é fundamental para a transformação da mente humana e a criação de uma nova cultura. Essa transformação ocorre quando a criança, ao estudar as diferentes técnicas e disciplinas, aprende igualmente a conscientizar-se dos processos do próprio pensar, sentir e agir. Tal conscientização a torna auto-observadora, integrando, assim, o ato de perceber, discernir e agir, indispensável ao desenvolvimento interior, propício a um correto relacionamento com o homem, com a natureza e com os instrumentos por ele criados.


Debates sobre educação com alunos e professores em Banaras, India

Debates sobre educação com alunos e professores em Banaras, India


Trecho: "Por certo, é função da educação ensinar-nos não a maneira de enfrentarmos a vida, mas como libertarmos a mente de todos os seus condicionamentos, todos os valores tradicionais, para que essa mente livre possa enfrentar e resolver os inumeráveis problemas de todos os dias."


Palestras com estudantes americanos

Palestras com estudantes americanos


Sinopse: À semelhança de outros livros de Krishnamurti, estas Palestras com Estudantes Americanos constituem a fiel transcrição por escrito das palavras pronunciadas pelo grande pensador durante os encontros que manteve com universitários de Porto Rico, da Califórnia e de Nova York. Durante esses encontros, Krishnamurti discutiu tópicos de sua especial predileção — tais como o poder do autoconhecimento, a transformação do homem, a compreensão como processo não-mental, o viver integral, a mudança necessária, a ação completa, etc. — reafirmando em torno deles, com aquela poética clareza que lhe dá a palavra tanto poder de persuasão, suas idéias fundamentais acerca da essencial liberdade do ser humano e do seu inalienável poder de descobrir por si mesmo o significado da vida. As perguntas feitas pelos estudantes e as respostas dadas por Krishnamurti são também aqui transcritas e ajudam sobremaneira o leitor a compreender melhor certos pontos essenciais dos temas abordados.


A cultura e o problema humano

A cultura e o problema humano


Sinopse: Tomando por tema básico a educação, a cultura e o conceito de “verdadeira vida”, Krishnamurti aborda neste livro problemas palpitantes, que dizem respeito a algumas das preocupações fundamentais do homem moderno, entre os quais: Qual o papel da disciplina em nossa vida? Como pode a mente ultrapassar os obstáculos em si própria existentes? Que é o autoconhecimento, e como alcançá-lo? Que é o destino? Como podemos livrar-nos de nossas preocupações de espírito, se não podemos evitar as situações que as causam ? Pode uma pessoa abster-se de fazer o que lhe apraz, e ao mesmo tempo encontrar o caminho da liberdade?

Fotos


Algumas imagens de Krishnamurti com crianças e estudantes

K com crianças K com crianças K com crianças K com crianças K com crianças K com crianças K com crianças